domingo, janeiro 17

Minas registra 8.319 novos casos confirmados de coronavírus

Até esta quarta-feira (13/01), Minas Gerais já teve 611.152 casos confirmados de coronavírus, dos quais 12.894 acabaram em morte. Nas últimas 24 horas, houve 8.319 novos registros de casos – segundo maior número registrado em um só dia – e 144 novos óbitos.

Minas Gerais chegou a uma média móvel de casos de Covid-19 de 6.678. Trata-se de um recorde, desde o início da pandemia. A curva de casos no estado está em crescimento, com alta de 75% em relação a 14 dias atrás.

Para calcular essa média, soma-se o número de mortes ou casos nos últimos 7 dias e divide-se o resultado por 7. Ela é móvel porque está sempre se referindo aos sete dias mais recentes, que mudam de uma data para a seguinte.

Já a média de mortes no estado atualmente está em 98 por dia. No dia 31 de dezembro, estava em 61, então houve um aumento de 60%.

Dentre os pacientes infectados pela Covid-19, 53.810 seguem em acompanhamento, internados ou em isolamento domiciliar. E 544.448 mineiros são considerados “recuperados” da doença, ou seja, são pessoas que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de dez dias e estão há 72 horas assintomáticos e sem intercorrências.

Ao todo, 559.897 mineiros já tiveram que ficar em isolamento domiciliar, à espera da recuperação de infecção por Covid-19, desde o início da pandemia. Outros 51.255 tiveram o quadro mais grave da doença e precisaram de internação hospitalar, na rede pública ou privada.

Minas Gerais já teve casos registrados de Covid-19 em todos os seus 853 municípios.

Perfil dos pacientes

A maioria dos pacientes que morreram com a Covid-19 em Minas Gerais era de homens: 57% do total. E idosos: 80% têm mais de 60 anos. Dos óbitos, 41% são de cor branca e 43% de cor parda. Além disso, 73% dos óbitos ocorreram em pacientes que já tinham fatores de risco, principalmente cardiopatia, diabetes e pneumopatia.

Outros fatores de risco registrados foram doença renal, transtornos mentais, doença neurológica, tabagismo, neoplasia, hipotireoidismo e doença genitourinária.

Comentários desativados