segunda-feira 26 de outubro de 2020

Padre é assassinado e tem o corpo parcialmente queimado em Minas

Com marcas de perfurações pelo corpo, que pode ter causado a morte, o autor não ficou satisfeito e ainda ateou fogo no corpo do padre, Adriano da Silva Barros, de 36 anos, que era Vigário da Paróquia de Simonésia (MG).

O pároco que estava desaparecido por grande parte do dia desta quarta-feira (14/10), o corpo foi localizado numa estrada da zona rural na localidade de Manhumirim. Mesmo carbonizado o corpo foi reconhecido por irmãos do padre.

Aos Militares os familiares disseram que o padre foi até a cidade de Martins Soares onde visitou a mãe que está doente, quando retornava, para Simonésia, onde deveria celebrar missa na paróquia. As informações davam conta que o pároco foi visto pela última vez no centro de Reduto, deslocando em seu veículo Chevrolet Onix, de cor branca, ainda na companhia da irmã.

A partir deste momento disse a Polícia que o padre não entrou em contato, não atendia o celular e as mensagens enviadas ao seu celular não foram visualizadas.

Ainda nesta quarta-feira (14), por volta de 18 horas a PM foi acionada por um morador Córrego Pirapetinga em Manhumirim, que visualizou um fogo no terreno, quando chegou próximo para apagar o fogo viu que era um corpo que estava sendo queimado.

No local os Militares suspeitaram ser o copo do padre, sendo feito o isolamento e depois a pericia técnica da Polícia Civil foi acionada e verificada as marcas de perfurações de faca. No local também estiveram os irmãos do Padre Adriano que reconheceram como sendo o pároco Adriano.

Neste momento os Militares começaram a levantar informações sobre os locais por onde o pároco passou após deixar a irmã e seguir sentido a cidade de Simonésia para identificar o autor do crime bárbaro.

A Policia Militar fazia verificação quanto ao dois suspeitos que foram abordados na região horas antes do corpo ser localizado, assim como eles tem passagens por crimes diversos poderiam saber algo relacionado ao crime.

Traçando as informações os Militares obtiveram detalhes que a Policia Rodoviária Federal teria visto o carro passando pela rodovia sentido à Terezópolis (RJ), durante a tarde, isso por volta das 17 horas. Como ainda não tinha alerta sobre carro roubado e nem do desaparecimento do pároco, não foi montado cerco.

Comentários desativados