segunda-feira 13 de julho de 2020

Presidente da Câmara de Vereadores de cidade em MG sofre tentativa de homicídio; prefeito é suspeito do crime

O presidente da Câmara de Vereadores de Ubaporanga (MG) Jorge Siqueira de Rezende (PV) sofreu uma tentativa de homicídio na noite desta quarta-feira (20/05). De acordo com boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, o suspeito do crime é o prefeito da cidade, Gilmar de Assis Rodrigues (PPS), que contou com o auxílio de dois irmãos dele no crime.

O vereador contou à polícia que havia sido alertado de que o prefeito tentaria algo contra ele e contaria com a ajuda dos irmãos. Por esse motivo, ao retornar para casa de noite, Jorge evitou descer do carro num primeiro momento e decidiu circular pelo quarteirão para ver se seria seguro.

Jorge Rezende disse ainda aos policiais que pouco depois foi abordado por um dos irmãos do prefeito, mas ele conseguiu sair com o carro. Porém, mais a frente o próprio prefeito, em veículo oficial, teria batido de propósito na traseira do carro do vereador com o objetivo de intimidá-lo.

O presidente da Câmara então seguiu pela BR-116 para ir à Caratinga fazer a denúncia na Delegacia Civil. No caminho, o vereador foi perseguido por dois carros, sendo que o prefeito dirigia um dos veículos e fez disparos na direção da vítima, que conseguiu escapar sem ser atingido.

O vereador Jorge Rezende registrou a denúncia e o carro em que estava passou por perícia. Na BR-116, a Polícia Militar localizou e apreendeu dois cartuchos de calibre 9 mm deflagrados.

A polícia faz buscas, mas o prefeito, nem os irmãos dele foram localizados até a publicação desta reportagem. O veículo oficial do município que teria sido utilizado no crime foi apreendido.

G1 entrou em contato com a Prefeitura de Ubaporanga, mas o prefeito Gilmar Assis Rodrigues não foi encontrado para comentar o caso e não havia nenhum outro responsável para falar sobre o assunto.

Denúncias

O vereador Jorge Rezende conta que o crime foi motivado por denúncias que ele fez na tribuna da Câmara sobre desvios de recursos para o calçamento de ruas da cidade e de superfaturamento de aluguéis de veículos tratores que seriam utilizados nas obras.

“Dentro dessa semana recebi ameaça e sei que ele tem essa capacidade, já bateu em outro vereador anteriormente. Eu pedi a assessoria jurídica da Câmara se podia pedir proteção policial ou contratar segurança particular pra mim, isso foi ontem, só que a gente foi pego de surpresa”, afirma o presidente da Câmara.

Ele diz ainda que a esposa e os filhos foram retirados da casa onde moram pela Polícia Militar e encaminhados para local seguro, mas que a família está assustada. “Meus filhos estão em choque”, revela.

Jorge Rezende conta que está sob proteção da Polícia Militar e que ainda nesta quinta-feira (21) irá ao Ministério Público apresentar denúncia contra o prefeito e pedir as providências cabíveis.

Fonte – G1 Vales de Minas Gerais.

Comentários desativados