domingo 15 de dezembro de 2019

Moradores de Brumadinho fecham a entrada principal da cidade

A semana começa com protestos em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Moradores de várias comunidades atingidas pelo crime socioambiental da Vale ocupam as principais vias de acesso da cidade nesta manhã (02/12).

O movimento começou por volta das 5h, na avenida Hum, número 2620. O movimento começa pacífico. A Polícia Militar (PM) acompanha a manifestação. 

O ato faz parte de uma reivindicação coletiva por respeito, Justiça, verdade sobre o ocorrido, reparação integral a todas as famílias e garantias que não vai ocorrer um novo rompimento de barragem. Eles também exigem que a Vale apresente um plano de fechamento da mina da Jangada para salvar as nascentes de abastecimento na região, entre outras questões. 

A cidade de Brumadinho desde o crime socioambiental da Vale, quando ceifou 272 vidas de trabalhadores, não voltou a sua rotina. Sabemos que o lucro para a Vale é mais importante do que vidas, rios, meio ambiente, a cidade está abalada emocionalmente. Jovens, idosos, crianças, toda a população está sofrendo o impacto desse crime.

Por isso os atingidos e atingidas estão mobilizados para requerer de forma integral que seus direitos sejam reparados. Abaixo a pauta de reivindicações:

Seguem as pautas:

  • Exigimos justiça pelos crimes da mineração cometidos pela Vale, pelas vítimas assassinadas. Que não parem as buscas e que todos os responsáveis sejam punidos;
  • Auxilio emergencial de 100% para toda população de Brumadinho sem distinção de localidade e principalmente sem data de término ou até reparação total do Município;
  • Assessoria Técnica nas Comunidades;
  • Psicólogos e Psiquiatras nas Comunidades;
  • Transparência da Prefeitura com todo dinheiro investido em Brumadinho. Sejam repasse da Vale, Governo Estadual e Federal;
  • Prestação de contas sobre o dinheiro das doações em Contas Bancária da Prefeitura da época do rompimento da Barragem;
  • Representação das comunidades atingidas em espaço de debate e negociação junto as instituições de Justiça e Vale;
  • Queremos sentar com as empresas que fazem extração de minério dentro do Tejuco para melhorias na comunidade;
  • Que a pauta dos agricultores seja atendida;
  • Indenização justa para os moradores da Ponte dos Almorremas e contra partida para comunidades.

Comentários desativados