domingo 15 de dezembro de 2019

Moradores de Congonhas, em MG, temem rompimento de barragem da Casa de Pedra

A barragem Casa de Pedra é considera uma das maiores do Mundo em área urbana, com 50 milhões de metros cúbicos de rejeito e é classificada como Classe 6, a mais alta em categoria de risco.

Apesar do risco iminente de rompimento, ainda são depositados rejeitos, segundo denuncia a população. A barragem é maior do que a Mina de Córrego do Feijão, que rompeu no dia 25 de janeiro, em Brumadinho.

O bairro Residencial Gualter Monteiro, que aglomera cinco mil pessoas, fica abaixo da barragem e pode ficar, em oito segundos, submerso em um mar de lama, caso aconteça o rompimento da barragem de Casa de Pedra. Segundo a defesa civil, os rejeitos também se deslocariam por toda cidade, com 54 mil habitantes, além de atingir comunidades próximas.

Muitos alegaram não dormir por medo da tragédia que se anuncia. O representante do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Antônio Claret, esteve no local e alertou a população para que se organizem.“O MAB, que existe no Brasil todo, ajuda o povo a se organizar. Precisamos ter uma visão concreta do que precisamos fazer neste momento”, disse Claret, acalmando os moradores.

Nota da CSN

A CSN informou que os esclarecimentos sobre a situação atual de suas barragens foram repassados aos órgãos competentes e que um comunicado será divulgado posteriormente pela empresa. A CSN garante que não há risco iminente de rompimento em Casa de Pedra.

Deixe seu comentário